Cultivar a Resiliência em Tempos de Pandemia.

Chegamos na terceira semana de entrega dos alimentos orgânicos cultivados em Comunidades que Sustentam a Agricultura (CSA) para famílias refugiadas e migrantes no Distrito Federal. E o tema da nossa reflexão é Resiliência! Nós gostaríamos de saber: você já parou para pensar na importância da resiliência nessa pandemia? Todos nós estamos atravessando situações adversas e sendo chamados […]

Chegamos na terceira semana de entrega dos alimentos orgânicos cultivados em Comunidades que Sustentam a Agricultura (CSA) para famílias refugiadas e migrantes no Distrito Federal. E o tema da nossa reflexão é Resiliência!

Nós gostaríamos de saber: você já parou para pensar na importância da resiliência nessa pandemia?

Todos nós estamos atravessando situações adversas e sendo chamados a pensar sobre os nossos limites. Limites Elásticos é o título da matéria no quadro “Recomendação de Leitura” que trouxemos para inspirar nossas reflexões.

No Projeto Agricultura Solidária, diversas pessoas que não se conhecem pessoalmente estão conectadas para financiar, cultivar e distribuir alimentos que chegam em segurança a quem precisa. A solidariedade parece ser um poderoso alimento para a Resiliência e será cada vez mais necessária nos tempos de Transição que estamos vivendo. Reconhecer a presença (ou ausência) de alimentos invisíveis na nossa vida é uma forma de ampliar nossa relação com a Agricultura e consequentemente com as nossas relações humanas de forma geral.

Escutei essa semana uma história sobre o Céu e o Inferno que para mim foi um verdadeiro alimento invisível, capaz de nutrir vários pensamentos e atitudes internas. A história era assim:

Um discípulo perguntou ao seu mestre o que era o inferno.

O mestre disse:

– O inferno é como uma grande panela de arroz rodeada por gente faminta. Cada um dispunha de palitos enormes. Conseguiam pegar o arroz mas não conseguiam levá-lo à boca. Ficavam eternamente famintos mesmo estando diante do alimento abundante.

O discípulo ficou pensativo e tornou a perguntar:

– E o que é o céu?

O céu é como uma grande panela de arroz rodeada por gente faminta. Cada um dispõe de palitos enormes que não consegue levar à boca. Cada um consegue pegar o arroz e leva-o à boca de outra pessoa. Assim todos ficam eternamente saciados alimentando uns aos outros.

É impressionante como podemos viver o céu ou o inferno a partir da nossa abertura para o Amor. Essa história me faz perceber a sabedoria universal de que é dando que se recebe.

Acesse a matéria sobre Resiliência e os nossos números da Semana 3 da Agricultura Solidária!

Temos cotas abertas para mais Coagricultores Solidários a partir de junho. Você gostaria de continuar apoiando uma família refugiada a acessar alimentos orgânicos cultivados em CSA? Conhece alguém que deseja apoiar uma ação solidária segura e confiável? Compartilhe o Cadastro Online do projeto.

Semana que vem teremos novas entregas de alimentos! Acompanhe os passos dessa experiência. Se você tiver críticas ou sugestões, entre em contato! 

 

Agradecimentos Especiais:

Verena Kasinski pela indicação da matéria Limites Elásticos no Conta Gotas #15.

Dra. Cristina Curto pelo podcast sobre Céu e Inferno na 2a Temporada da Série Coisas que Aprendi.

 

 

Renata Navega | Matres Socioambiental

Projeto Agricultura Solidária 

#csanaquarentena #culturadoapreco #refugiados

#ficaemcasa #sejaamudanca #agriculturasolidaria

Saiba Mais: Projeto Agricultura Solidária

Na Mídia: Matéria publicada no Correio Braziliense dia 04 de maio de 2020.

Participe: Acesse o Cadastro Online do projeto.

Quando amplio minha atenção para além das minhas agendas pessoais, vislumbro a maravilha e a beleza dessa história. E como é espantoso nascer na Terra neste momento de tão grandiosos desafios. Joana Macy. Ativista ambiental, autora, estudiosa do Budismo, Teoria dos Sistemas Gerais e Ecologia Profunda.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *