GUIA DE USO DA TECNOLOGIA MERCADO DE INFORMAÇÕES

 GUIA DE USO DA TECNOLOGIA MERCADO DE INFORMAÇÕES   O QUE É O MERCADO DE INFORMAÇÕES?   O mercado de informações é uma técnica amplamente utilizada em diferentes contextos de trabalhos participativos e pode ser aplicado a grupos com escalas maiores. A técnica recebe o nome de mercado de informações fazendo uma alusão aos processos […]

Publicado em
Autor: Andrea Zimmermann e Renata Navega

 GUIA DE USO DA TECNOLOGIA MERCADO DE INFORMAÇÕES

 

O QUE É O MERCADO DE INFORMAÇÕES?

 

O mercado de informações é uma técnica amplamente utilizada em diferentes contextos de trabalhos participativos e pode ser aplicado a grupos com escalas maiores. A técnica recebe o nome de mercado de informações fazendo uma alusão aos processos de troca e a circulação de pessoas que ocorrem nos mercados comuns. Ao invés de bens de consumo, entretanto, têm-se informações.

As informações representam a mercadoria que será compartilhada, trocada e pelas quais os participantes circularão em busca no mercado. Dessa forma, é possível compreender que o mercado de informações é estruturado a partir de temas de relevante interesse para o grupo, escolhidos previamente pela equipe de moderação e coordenação do evento e nortearão o diálogo dos participantes.

Assim como em um mercado, os participantes circulam entre os ambientes e tratam de informações específicas em cada momento, permitindo a integração de assuntos abordados em estações anteriores.

O mercado de informações, quando bem coordenado, favorece a integração de participantes, a troca de conhecimentos e permite uma construção coletiva na qual o grupo se reconhece na diversidade e afinidade de opiniões.

Além disso, o mercado é uma técnica na qual é possível sistematizar o diálogo das pessoas sobre os temas escolhidos gerando uma memória do processo participativo. Ou seja, a técnica oferece ao final do processo, o acesso ao resultado construído pelos diversos visitantes que colaboraram em cada uma das estações do mercado.

O registro das ideias que são geradas no mercado de informações poderá ser feito por meio do uso de tarjetas, flipcharts ou ainda por meio de projetor. Dessa forma, note que o mercado de informações pode ser associado a técnicas de visualização distintas, ficando a critério do moderador a escolha de qual recurso oferece melhores condições no contexto do seu evento. O importante é garantir que em cada momento da vivência, as ideias e propostas sejam registradas adequadamente a fim de garantir a transparência do processo participativo e a sistematização dos resultados posteriormente.

 

 COMO APLICAR A TÉCNICA DO MERCADO DE INFORMAÇÕES?

Este breve guia de uso do Mercado de Informações apresenta a seguir como aplicar a técnica em um passo a passo detalhado. Note que os passos foram organizados de forma didática na qual se recomenda seguir o sequenciamento proposto. O moderador poderá, entretanto, fazer suas considerações e criar adaptações que se fizerem necessárias em seu contexto. Porém, esteja atento aos passos apresentados a seguir, pois eles estão associados aos princípios da técnica que permitem o alcance dos benefícios citados anteriormente.

  1. Defina o objetivo e os produtos esperados do Mercado de Informações no contexto do processo participativo do seu evento

A fim de alinhar as expectativas entre os atores envolvidos e melhor estrturar o traballho a ser desenvolvido com o uso da técnica, deve ser definido claramente o objetivo do mercado de informações no contexto do encontro que será realizado e os produtos esperados.

  1. Defina os temas de discussão que irão compor as estações de trabalho

Os temas de discussão devem ser escolhidos pela equipe de moderação em parceria com a coordenação do encontro. Considerando o número de participantes envolvidos, organize a quantidade de pessoas que deverá atuar em cada grupo de trabalho identificando quais temas serão tratados em cada estação. Lembre-se que o mercado gira em torno da troca de informações e circulação dos participantes, por isso, a escolha adequada dos temas de discussão é fundamental.

Na divisão de temas, considere o número de participantes envolvidos em cada estação. Os grupos devem estar equilibradamente divididos, ou seja, em cada estação deve-se buscar ter o mesmo número de participantes. Não é recomendado que no grupo haja mais que 10 pessoas, a fim de permitir que todos possam ter espaço para expressão de suas ideias. Por outro lado, grupos inferiores a 4 participantes poderão não ter muita diversidade e a discussão ser menos rica de ideias.

Por isso, busque equilibrar temas relevantes, número de participantes e tempo disponível para a vivência para alcançar a quantidade ideal de estações do mercado.

  1. Cada grupo terá a missão de desenvolver o conteúdo do seu tema

A equipe de moderação e coordenação do evento deverá estar atenta ao processo de desenvolvimento dos temas que serão trabalhados pelos grupos nas estações do mercado. A fim de melhor orientar o processo participativo é muito importante que, em cada estação, o participante encontre uma orientação para reflexão e diálogo a respeito do seu tema em questão. Geralmente constuma-se trabalhar com um roteiro de perguntas orientadoras que irão nortear a discussão do grupo. Este roteiro deve ser elaborado previamente, pela equipe de moderação a partir da definição dos temas por estação de trabalho e deverá estar impresso e disponível em cada estação durante a vivência do mercado.

  1. Cada grupo deverá indicar um participante para registrar as ideias discutidas em cada estação de trabalho, denominado ponto focal ou participante fixo.

Os grupos, com base nas perguntas orientadoras indicadas no roteiro, buscam desenvolver o conteúdo do tema da estação de trabalho dialogando sobre o assunto e registrando suas ideias em um painel, por meio de tarjetas ou flipchart, ou ainda em documento eletrônico com visualização por projetor. Um participante voluntariamente deverá se apresentar como ponto focal e será o responsável pelos registros e memórias do grupo. Os demais participantes, por sua vez, são chmados de flutuantes ou visitantes e serão convidados a migrar para próximas estações de trabalho no momento seguinte.

  1. Finalizada a primeira etapa, com exceção dos participantes fixos, todos os demais, denominados flutuantes, deverão migrar para a próxima estação de trabalho, para abordar outro tema.

A figura abaixo apresenta a dinâmica de migrações dos grupos pelos temas que ocorre durante o mercado de informações:

 

Esquema de rodízio dos grupos no Mercado de Informações. 

  1. Quando um grupo se desloca para a próxima estação de trabalho, é recepcionado por um participante fixo, que acompanhou toda a discussão anterior e registrou o conteúdo produzido sobre o respectivo tema;

Ao chegar na estação seguinte, os visitantes são recepcionados pelo participante fixo que deverá introduzir o tema e fazer breves considerações sobre como foi a discussão do grupo anterior. Os visitantes devem revisar o roteiro de perguntas orientadoras da respectiva estação e em seguida dialogar sobre o assunto, opinando a respeito das ideias registradas pelos visitantes anteriores.

Note que as considerações dos visitantes poderão ser no sentido de incluir novos conteúdos ou propor alterações no conteúdo desenvolvido pelo grupo anterior.

É fundamental que os participantes sejam orientados a jamais suprimir algo que foi escrito por outro grupo. Nem mesmo o participante fixo possui a autoridade para isso.

Nesse sentido, todos os casos de discordância devem ser registrados, inserindo colaborações novas ou marcações de dissenso, sem alterar o texto original do grupo anterior.

Para registrar opiniões divergentes no painel, o moderador pode orientar os participantes a usarem cores ou símbolos que possam ser fáceis de interpretar futuramente, no momento de consolidação do painel.

Observe que uma grande vantagem da técnica do Mercado de Informações consiste no fato das discussões não partirem sempre de uma página em branco. Ao chegar em uma estação do mercado, o participante terá pontos de partidas para dialogar a respeito, oferecendo maior agilidade no desenvolvimento das ideias.

Outro aspecto relevante da circulação dos grupos está baseado na oportunidade de interagir com a ideia de vários participantes, democratizando a expressão das ideias, sem a necessidade da presença física dos participantes na qual menos pessoas teriam acesso a voz e, consequentemente, à expressão de suas opiniões, como ocorre em situações de plenária.

Permitindo o registro no painel, os participantes expressam suas visões e é possível interagir com a diversidade de ideias a cada circulação de grupos no mercado.

 

  1. O tempo dedicado para cada rodada deve ser estabelecido pelo moderador e comunicado aos participantes no início da dinâmica.

 

Outro fator de sucesso da técnica é a boa gestão do tempo. De acordo com o número de temas e a duração total que se tem para a vivência, deve ser organizado o tempo para cada rodada de discussão nas estações do mercado. Em geral, recomenda-se que os participantes possam trabalhar entre 20 a 60 minutos em cada estação, de acordo com a complexidade dos temas e tempo disponível para vivência. Quando estiver perto do tempo de conclusão de cada rodada, o facilitador deve avisar os participantes e orientá-los a migrarem para a próxima estação de trabalho. A duraçãor a ser dedicada para esta atividade deverá ser informada previamente e o moderador deve monitorar o avançar do tempo e orientar os participantes a este respeito.

ATENÇÃO!

É muito importante que o facilitador esteja atento ao cumprimento do horário estabelecido e garanta que os grupos finalizem os diálogos no tempo previsto, para que não haja interrupções na circulação dos participantes entre as estações de trabalho.

Quando um determinado grupo atrasa, certamente haverá outro grupo que ficará esperando a estação desocupar para poder iniciar seus trabalhos, tendo seu tempo reduzido, pois deverá cumprir o tempo limite, independente de ter iniciado sua discussão alguns minutos depois.

 

  1. Os participantes visitantes irão circular por todas as estações do mercado até retornar para sua estação original.

Após três rodadas, os participantes flutuantes retornarão aos seus grupos originais e terão entre 20 a 30 minutos para consolidar o conteúdo desenvolvido sobre o seu respectivo tema.

 

Da mesma forma, como na primeira etapa e em todas as rodadas, o participante fixo deve permanecer e recepcionar o grupo de origem e apresentar as colocações que surgiram ao longo da dinâmica. O grupo então deve consolidar as ideias que forem consenso e indicar o que houver de dissenso.

 

  1. Por fim, cada grupo deve apresentar seus respectivos painéis em plenária.

Devem ser apresentadas as sínteses das discussões indicadas pelo produto final produzido. Por ter acompanhado todas as discussões de seu tema, o participante fixo é o mais indicado para fazer essa exposição em plenária. Todavia, os demais participantes poderão fazer complementos e esclarecer dúvidas.

 

  1. Relatoria do Mercado de Informações

Durante o mercado, recomenda-se que o moderador e a equipe de coordenação do evento tirem fotos da vivência.

Encerradas as apresentações de cada estação de trabalho, o moderador deve organizar a consolidação das ideias geradas. Caso o registro tenha sido feito por meio de tarjetas, recomenda-se fotografar os paineis. Todos os paineis devem ser digitados em documento eletrônico para o relatório. Os painéis podem ser copiados antes de serem removidos, caso seja possível. Se não for possível, remova de forma estruturada as tarjetas para copia-las num momento futuro.

O relatório do mercado de informações deve conter não apenas os resultados obtidos em cada estação, mas também um relato da duração de cada rodada, escolha dos temas, número de participantes e programação realizada.